Número total de visualizações de página

terça-feira, 5 de novembro de 2013

Goucha e Cristina

Hoje era o dia combinado e assim foi: hoje de manhã, à mesma hora, os dois apresentadores disponibilizaram nos seus blogs oficiais - Cabaré do Goucha e Daily Cristina - um texto em que expunham publicamente o que pensavam um do outro. Ao que consta Manuel Luís Goucha até se chegou a emocionar!

O meu Goucha:


"É o maior! Pronto, está dito. Sempre o achei, ainda muito longe de imaginar que um dia viria a ser meu companheiro de todos os dias. O homem que me entrava pela casa dentro e que eu conhecia, na verdade com que sempre fez televisão, foi-me entregue num dia 13 de Setembro. E dele não abdico para o resto da minha vida. Gosto dele de uma forma que não sei explicar. Eu e o Goucha não prolongamos aquilo que a televisão nos dá diariamente mas, aquilo que somos nas nossas manhãs, une-nos no que de melhor a vida tem para dar: o sorriso, o amor feito de amizade. Soube aceitá-lo com todas as virtudes e defeitos porque já o amava antes de o ter para mim. Quando lhe disse um dia, num curso de televisão, que haveríamos de trabalhar juntos, é porque o sabia. Como se estivesse destinado que a vida nos ia juntar. Sei que deve ter estranhado a miúda arisca que chegou para se afirmar, mas depressa percebeu que estávamos ali os dois para ganhar. Soubemos ser um do outro estes 9 anos. Sem zangas, discussões, melindres ou desconfianças. O que é inacreditável para quem partilha tantas horas de matrimónio. Queremos os dois vencer. Queremos os dois ser os melhores. Mas casamos com comunhão de bens e não há separação que nos tire esta partilha. Costumo dizer que já tenho saudades de um tempo que irá chegar. Temos 20 anos de diferença. Caminhos por percorrer. Certamente que alguns com destinos diferentes. Almoços que não teremos, telefonemas que tardarão em chegar. O Goucha é assim. E também por isso gosto dele. Porque ele é dele, muito dele, e de mais ninguém. Admiro-o na sua inocência, nos seus medos, no afecto que rejeita mas que o alimenta. O Goucha gosta de ser amado. E tem um país que o ama. Que o conhece. Não melhor do que eu. Sei que sou das pessoas que mais o conhece. Sem exigir que mude. Porque é assim que gosto dele. Quando se ri das barbaridades que digo, nesse momento sou feliz. No “programa do Goucha” tenho a sorte de ser a sua convidada principal. Não preciso de casa, jardim, prendas ou mimos, aquilo que me dá diariamente é muito mais do que alguma vez imaginei. Neste mundo de espectáculo, ele é a minha contracena. A melhor de todas. E mesmo que o pano um dia desça, eu estarei sempre nos bastidores. Gosto de ti Manel! Para sempre.

A minha Cristina:


"É diferente da sua, por certo, que dela terá a imagem da pantalha, ao passo que eu partilho com ela uma boa fatia do dia. E já vai para dez anos. Sei das ambições que a alimentam, não sem que dê espaço para que a Vida aconteça. Sei da inquietude que a estimula. Sei da criatividade que a desafia. Nela medra a semente do talento. É terreno fértil de ideias e olhares, botados no labor diário de fazer televisão e assim se dar aos outros. Como que a querer tornar virgem o que é relho, através de um outro ângulo, o do inesperado e luminoso. Insubmissa, recusa o óbvio, o fácil, o desenxabido. É ela em cada instante que é, e assim acende o seu caminho, nele fazendo entrar quantos acreditam. Sei das suas fragilidades, que as tem, por ninguém ser perfeito, sem que delas faça culpas possíveis, antes as usa para se entregar inteira."Emprenha a manhã de risos e dichotes e seus olhos salpicam-se de ilusão. A ilusão de que todos os dias são claros. Mordem-na ventos de invídia, mas até esses sabe aplacar com delirante graça.Sei do sonho que nela habita e onde cabem príncipes por encantar.Se eu podia viver sem a Cristina? Claro que podia!… Mas não seria a mesma coisa! Por isso, quero que ela fique, aquém de todas as ausências."



Ver artigos completos:


Sem comentários:

Enviar um comentário